Nos anos 1950, o jeans espalhou-se para além de sua terra natal californiana, a variedade de produtos feitos com denim aumentou, e o material se firmou como emblema dos descolados. O filme "O Selvagem" (fotos abaixo), do produtor Stanley Kramer, inspirou uma geração de rebeldes de motocicleta.



Em 1969, refletindo sobre o passado, William Burroughs escreveu: "Jack Kerouac foi responsável pela venda de um milhão de calças jeans com seu On the road - pé na estrada". Não parecia importar o fato de que nenhum personagem do manifesto beat de Kerouac, publicado em 1957, de fato usasse jeans. Era mais porque, com esse livro, o escritor fez nascer uma nova estética americana, na qual a onipresença do denim tornou-se inevitável.

O jeans fez parte do vocabulário da moda americana antes mesmo de Kerouac. No Velho Oeste, era o uniforme do caubói, o grande herói americano. Na Califórnia, o jeans era o padrão tanto para mineradores, quanto para os garotos rebeldes às voltas com suas Harley-Davidson e transpostos para as telas em O Selvagem (1953), com Marlon Brando.

Em Nova York, o jeans era uma parte importante do estilo dos heróis e intelectuais da contracultura. Roy Lichtenstein e Bob Dylan deram à peça um ar mais cool. Embora Elvis seja considerado um precursor do denim, foi Eddie Cochran quem o levou ao rock´n´ roll. Nascido no Mississipi, onde o jeans era o traje dos trabalhadores rurais, Elvis nunca o achou bom para os palcos. Eddie cresceu em Minnesota, onde o modelo não era assim tão estigmatizado.



Foi Marilyn Monroe(foto ao lado) quem deu ao denim um ar glamoroso quando usou uma calça Levi's e uma jaqueta Lee modelo Storm Rider, forrada com flanela e ornada com gola de veludo cotelê, no set de Os desajustados (1961). A França era o principal mercado europeu da Levi´s, e Brigitte Bardot era vista com frequência usando o modelo 501.



Fotos: Reprodução. Fonte texto: 50 ícones que inspiraram a moda 1950 de Paula Reed.



0 comentários :

Postar um comentário