Fotos: Reprodução


Já faz um tempo que quero dividir com vocês a maravilha que é esse livro, comprei ele em meados de 2012. Esse é mais um daqueles que são verdadeiras obras de arte, pois o layout, a diagramação do livro é encantadora. As páginas são de alto brilho, desenhos feito pela própria autora Ines de La Fressange. Com a participação especial da jornalista Sophie Gachet.

O livro é como um guia de estilo para as amantes de Paris, assim como eu. Foge um pouco da futilidade da moda, que dita objetos de desejo de alto padrão e caros demais para uma pobre mortal de classe média. As dicas do livro para um estilo total parisiense, são em combinações e composições, e não em marcas especificas. Claro que ao final do livro a autora cita lojas bem bacanas por Paris, que vão de brechós a lojas de grife. Mas nesse caso fica a critério da leitora absorver aquela dica de acordo com sua condição financeira.

O livro teve seu lançamento em 2011 pelo Brasil, e pela França já batia a marca de 100 mil exemplares vendidos.

 Em 1974, Ines de la Fressange aos 17 anos, fez seu primeiro trabalho para a revista Elle francesa. Na sequência desfilou para o estilista Thierry Mugler e a partir daí, cheia de personalidade e atitude, Inès começou a ser reconhecida como “a manequim que fala”. Não demorou muito tempo e a francesa já tinha conquistado grandes couturiers, como Kenzo, Christian Lacroix, Claude Montana e Karl Lagerfeld, que a achava parecida com Coco Chanel, não por acaso, foi a primeira modelo a assinar um contrato de exclusividade com a maison francesa Chanel.

Nas 238 páginas, há um esboço sobre a mulher de Paris e seu gosto pela moda, seu DNA fashion e modo de vida. “Ser parisiense vai bem além dos códigos de como se vestir. É antes de tudo, um estado de espírito, um sentido de liberdade”, assegura. Para a autora, a parisiense não é uma fashion victim. Ao contrário, ela não é vítima de nada, sendo ao mesmo tempo insolente, frívola e profunda. “No meu guia, não quis ditar regras, mas dar conselhos. Por exemplo, não ficar bloqueada nos 30 anos quando se tem 50”.

Suas fontes preferidas para verdadeiros achados e dicas ótimas de como se vestir para ocasiões distintas, como fazer combinações, aulinhas de etiqueta, além de dicas que a gente ama sobre lojas bacanas, caras ou baratas, cafés, arte e decoração na capital francesa (disponíveis on-line e em Paris) são acompanhadas por fotografias de moda, nas quais a modelo é sua filha, e por desenhos assinados pela própria Ines. São 350 ilustrações a cores.


Vale a pena garantir o seu.


0 comentários :

Postar um comentário